Polícia

Suplente de vereador assassinado foi policial militar por dois anos, mas foi expulso por extorsão e associação criminosa

O suplente de vereador Erasmo Morais (Pros) foi assassinado a tiros de fuzil nesta terça-feira (7), no município do Crato, região do Cariri cearense. Ele foi policial militar durante dois anos, mas teve a expulsão decretada por ser suspeito de extorsão e associação criminosa.

Conforme informação de um perito à TV Verdes Mares, Erasmo foi morto com mais de 10 disparos de arma de fogo, na frente da casa onde morava, no bairro Mirandão. A equipe de peritos que foi ao local, no entanto, contou 47 cápsulas (36 de fuzil e 11 de pistola) espalhadas pelo chão.

A Secretaria da Segurança Pública disse que ele foi excluído dos quadros da Polícia Militar em 1995, e depois foi recolhido ao Presídio Militar. Ele foi agente de segurança durante dois anos — após entrar na corporação em setembro de 1993.

📰G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *