Mulheres vítimas da violência: Ceará registra 27 feminicídios em 2022

Dos 27 casos, oito foram em Fortaleza. Em comum, as ocorrências trazem requintes de crueldade.

Dia 2 de janeiro de 2022. A data ficou marcada como o primeiro dos 27 feminicídios contabilizados no Ceará neste ano. Naquela noite, na cidade de Groaíras, Evangelina e Edevaldo discutiram dentro de casa. A mulher recebeu diversos golpes, foi hospitalizada, mas não resistiu aos ferimentos. A história de um relacionamento conturbado com desfecho trágico se repete com o passar dos anos e indica que o machismo estrutural se perpetua, sempre fazendo novas vítimas.

Enquanto 27 mulheres foram assassinadas no Estado desde janeiro de 2022 até o último dia 25 de dezembro, no ano passado foram 31 registros. Em todos esses casos, não houve política pública que impedisse o crime, mesmo quando vítimas já tinham noticiado agressões anteriores e tinham medidas protetivas.

 

Os crimes classificados nesta tipologia atingem diferentes raças e condição social. Dos 27 casos, oito foram em Fortaleza. Em comum, as ocorrências trazem requintes de crueldade. Elas têm os corpos desfigurados, carregando o simbolismo da mensagem: “se não é minha, não é de mais ninguém”.

Como nos outros anos, a reportagem levantou, a partir das estatísticas disponibilizadas pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), que a maior parte dos feminicídios foi cometido com uso de armas brancas e outros meios diversos da arma de fogo. No caso de Evangelina Pinto de Sousa, por exemplo, o laudo pericial apontou que ela foi agredida a socos e chutes.

Edevaldo tentou convencer a Polícia com a versão de que ele agiu em legítima defesa. Chegou a se apresentar na presença de um advogado, foi ouvido e liberado. No entanto, os fios de cabelo da vítima no chão e os rastros de sangue dela nas paredes da casa colocaram a tese abaixo e o suspeito foi preso.

  •  Groaíras FEMINICÍDIO Outros meios 02/01/2022 Feminino 24
  •  Fortaleza FEMINICÍDIO Arma de fogo 09/01/2022 Feminino 16
  • Icó FEMINICÍDIO Arma branca 05/02/2022 Feminino 58
  • Independência FEMINICÍDIO Arma de fogo 06/02/2022 Feminino 42

  • Fortaleza FEMINICÍDIO Arma branca 06/02/2022 Feminino 20
  •  Fortaleza FEMINICÍDIO Arma branca 13/02/2022 Feminino 30
  • Tianguá FEMINICÍDIO Outros meios 20/02/2022 Feminino 17
  •  Iguatu FEMINICÍDIO Arma de fogo 28/02/2022 Feminino 32
  •  Fortaleza FEMINICÍDIO Arma branca 01/04/2022 Feminino 30
  •  Quiterianópolis FEMINICÍDIO Arma branca 04/04/2022 Feminino 22

    Brejo Santo FEMINICÍDIO Outros meios 11/04/2022 Feminino 53

  •  Fortaleza FEMINICÍDIO Outros meios 29/04/2022 Feminino 33
  •  Tabuleiro do Norte FEMINICÍDIO Arma de fogo 24/05/2022 Feminino 27
  •  Pacatuba FEMINICÍDIO Arma branca 26/06/2022 Feminino 3
  • Fortaleza FEMINICÍDIO Outros meios 01/07/2022 Feminino 20
  • Beberibe FEMINICÍDIO Arma branca 16/07/2022 Feminino 42

  • São Gonçalo do Amarante FEMINICÍDIO Arma branca 25/07/2022 Feminino 54
  • Juazeiro do Norte FEMINICÍDIO Outros meios 31/07/2022 Feminino 27
  • Fortaleza FEMINICÍDIO Arma de fogo 20/08/2022 Feminino 43
  • Fortaleza FEMINICÍDIO Arma branca 28/08/2022 Feminino 52
  • Carnaubal FEMINICÍDIO Outros meios 29/09/2022 Feminino 18
  • Cedro FEMINICÍDIO Arma branca 13/10/2022 Feminino 24

    Alcântaras FEMINICÍDIO Arma branca 23/10/2022 Feminino 18

  • Itarema FEMINICÍDIO Arma branca 14/11/2022 Feminino 26
  •  Poranga FEMINICÍDIO Arma de fogo 24/11/2022 Feminino 25
  • Crato FEMINICÍDIO Outros meios 06/12/2022 Feminino 20
  • Horizonte FEMINICÍDIO Arma de fogo 25/12/2022

REGISTROS RECENTES

No início deste mês de dezembro, Laísa Alves, 21, desapareceu. Ela voltava de uma festa quando foi vista pela última vez. A família desconfiou do sumiço e foi à casa do namorado de Laísa (que também é primo da vítima). Ele foi encontrado com arranhões no tórax e no rosto, mas também se disse, naquele momento, preocupado com o desaparecimento.

Não demorou até que o corpo da jovem fosse encontrado dentro de uma cacimba, na cidade do Crato. O namorado e principal suspeito foi preso horas depois. O nome dele e o que teria motivado a morte contabilizada como feminicídio não foram divulgados pelas autoridades.

No dia do Natal, outra tragédia. Um subtenente da Polícia Militar matou a esposa a tiros e em seguida tirou a própria vida, em Horizonte, município da Região Metropolitana de Fortaleza.

Segundo a PMCE, policiais militares foram acionados para a ocorrência de disparos de arma de fogo em uma residência e, no local, se depararam com os dois corpos. As identidades dos envolvidos neste caso não foram reveladas.

 

Fontte: https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *