Indústria de motos cresce 10% com 1,06 milhão de unidades

O setor das duas rodas mantém o otimismo para o segundo semestre. Enquanto a indústria de automóveis revisa para baixo suas previsões de crescimento, a Abraciclo, que reúne fabricantes de motocicletas, prevê expansão maior do que a esperada no início de 2021.

A previsão inicial era a de fabricar 1,06 milhão de unidades em 2021, alta de 10,2% sobre o ano passado. “Mas é possível que tenhamos de revisar para cima a projeção”, disse Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.
Após iniciar o ano em meio à crise sanitária de Manaus –que concentra a produção nacional de motos–, as fábricas aceleraram a fabricação no segundo trimestre. A falta de peças e a alta dos insumos geram gargalos, mas o balanço é positivo.

Foram produzidas 568,9 mil unidades no primeiro semestre, alta de 45% em relação aos seis primeiros meses de 2020, o melhor resultado desde 2015. As vendas no período somaram 517,2 mil unidades, alta de 47,7%.
As motos street de baixa cilindrada, usadas por entregadores de aplicativo, responderam por 48,4% do mercado. Fermanian disse que há fila de espera por motos de baixa cilindrada. Pelos cálculos da Abraciclo, a procura por motocicletas novas está entre 15% e 20% acima da atual capacidade de produção.
“Os bancos ligados às marcas ganharam mercado e hoje representam quase metade dos financiamentos”, afirmou Fermanian.

Um exemplo forte é a Shineray do Brasil que investe para estreitar o relacionamento com o consumidor das classes A/B. Com mais de 200 pontos de vendas pelo país, a montadora celebra mais de 15 anos de operação em solo nacional com um novo e competitivo modelo de comercialização, focado na abertura inédita de lojas de fábrica.
Líder no mercado de financiamentos de veículos novos e usados, o Santander será o banco parceiro dos novos revendedores da Shineray. Os planos de parcelamento de motos elétricas e de baixa cilindrada incluem prazo de até 60 meses e taxas de juros a partir de 0,99% ao mês.

Sócio-diretor da Shineray do Brasil, José Edson Medeiros destaca que o plano de lojas de fábrica contará com investimento de R$ 1 milhão em 2021, para a abertura, inicialmente, em quatro estados – São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Pernambuco.

Fonte: https://oestadoce.com.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.