Polícia

Foragidos de Mossoró tinham rede de apoio no Ceará para buscar esconderijo e obter armas, diz polícia

Os dois fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró contavam com uma rede de apoio no Ceará, segundo investigação da Força Integrada de Combate ao Crime Organizado no Ceará (Ficco). Deibson do Nascimento e Rogério Mendonça foram capturados nesta quinta-feira (4) em Marabá (PA).

De acordo com a Ficco, foram detectadas no Ceará diversas movimentações que indicam que eles contavam com auxílio de membros de uma facção criminosa. Três pessoas suspeitas de participação nesta rede foram presas no estado.

Para chegar ao Pará, onde foram capturados nesta terça, eles viajaram de barco durante seis dias partindo do Ceará. Ambos fazem parte da mesma facção criminosa Comando Vermelho.

Prisões no Ceará

No dia 8 de março, Nícolas Rodrigues Alves foi preso pela Ficco em Fortaleza. Nicolas seria um dos chefes do grupo criminoso em Aquiraz, cidade da região metropolitana da capital cearense, e apontado como o responsável por dar apoio a Rogério e Deibson. Ele é natural do Rio Grande do Norte, mas atuava no Ceará.

Na última segunda-feira (1º), um homem identificado como João Victor Xavier da Cunha foi capturado pela Ficco em uma pousada na Praia do Futuro, em Fortaleza. Ele é natural de Baraúna, no Rio Grande do Norte, mas também tinha atuação na facção criminosa no Ceará. João Victor estaria como responsável por prestar ajuda a Rogério e Deibson após da prisão de Nicolas.

Os dois homens, segundo a Ficco, auxiliavam os foragidos com esconderijos e suprimentos.

Nícolas e João Victor seguem presos e estão à disposição da 8ª Vara Federal, em Fortaleza.

Jovem daria arma aos fugitivos

Uma jovem de 21 anos também foi presa, em Aracati, cidade do litoral leste do Ceará, suspeita de dar apoio aos dois foragidos. Ela foi detida em flagrante com 24,5 kg de droga e uma pistola no dia 21 de março, quando a Polícia Federal cumpriu nove mandados de busca e apreensão como parte da operação que tentava recapturar os fugitivos.

Após a prisão da suspeita, a polícia investiga se ela tinha objetivo de repassar armas aos foragidos.

📰G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *