Eventos

Exposição homenageia Dia Internacional da Mulher destacando a valorização feminina

O dia 8 de março é celebrado mundialmente como o Dia Internacional da Mulher. A data é um marco mundial pelas conquistas das mulheres e a luta pela igualdade na sociedade. Não se limita às dificuldades enfrentadas, mas também aos progressos alcançados ao longo dos anos. Mesmo que ainda em passos lentos, é possível notar que elas têm conquistado espaços em lugares que, anteriormente, eram fechados.
Ao longo dos anos, as mulheres assumiram papéis de liderança, são donas do próprio negócio, ganharam seu espaço em empresas, se tornaram CEOs, entre tantos outros destaques. Ano após ano, a conscientização da luta das mulheres fica mais frequente e a igualdade entre os gêneros vai sendo conquistada cada vez mais. No início, a data remetia apenas à reivindicação por igualdade salarial, mas, atualmente, simboliza a luta das mulheres não apenas contra a desigualdade salarial, mas também contra o machismo e a violência.

Para homenagear as mulheres neste mês de março, a artista visual e curadora Anete Mendonça, por meio do seu Projeto Entre Nós e com o apoio da Secretaria de Cultura de Fortaleza, vai promover a Exposição “Sintonia”, onde voltada para a valorização da mulher. “A temática da exposição é a valorização da mulher com as suas múltiplas e atuações. Propõe demonstrar, através das obras de artistas mulheres, suas competências e habilidades, mas em conjunto, pois quando trabalhamos no mesmo propósito, nós percebemos que o todo, a completude é mais importante que uma única parte. Abordo o espaço da mulher na metrópole, a sintonia da família envolvendo gerações, as características femininas como coragem, intuição, percepção, as quais são peculiaridades que nos capacitam para exercermos de forma mais efetiva na sociedade”, afirma Anete.

Na mostra, o público poderá observar a relação de irmandade, união e afeto entre as mulheres, mostrada por meio de diversos movimentos artísticos, deixando que as pessoas se conectem com as imagens e sintam a mensagem repassada por meio delas, pois a arte é um tipo de linguagem, de comunicação. “O intuito é trazer uma proximidade, a exposição é um tipo de linguagem, uma forma de comunicação, então tenho em vista trazer um diálogo, de mostrar a importância das relações, com essa troca de reciprocidade, compartilhar os sentimentos e com intuito de fortalecer opiniões, viso mostrar que quando as habilidades se unem o todo passa a ser mais importante do que uma única parte. Então, viver em sintonia é um caminho de fortalecimento, é um avanço para o equilíbrio na sociedade”, diz a artista.

As artistas buscam mostrar a importância da sintonia feminina na construção de uma sociedade em que a igualdade e a valorização da mulher existam. Por isso a escolha do nome “Sintonia”. “O nome sintonia lembra harmonia de estarmos conectadas. Esse nome vem para fortalecer as relações como uma concessão de reciprocidade. Se um quer e o outro também quer, nós saímos da linha de pensamento para se tornar um estilo de vida. Porque sempre apostamos nesse poder renovador que a mulher tem, pelos seus vários objetivos que carregamos e não é por acaso”, conta.

No ano passado, Anete realizou a primeira exposição em alusão ao mês da mulher. Com o nome “O Sagrado Feminino”, a mostra trouxe uma reflexão sobre a relação do sagrado com a figura humana, abordando a escolha de Deus para gerar seu filho por meio do útero de uma mulher. “Então resolvi falar de vida levando a proposta de que se Jesus Cristo veio ao mundo e sendo Deus escolheu um útero para ser gerado. Procurei levar a reflexão para as mulheres para valorizarem o útero, canal gerador de vida”.
A artista destaca ainda a importância desta exposição exatamente no mês de março. Ela afirma que, por meio da arte, o viver em sintonia consegue fortalecer sentimentos e estreitar vínculos de reciprocidade e mostrar a luta da mulher para romper essas barreiras de desigualdade. “A importância está pautada no próprio eixo da Exposição, o qual é a sintonia, reciprocidade. Sabemos que o mês internacional da mulher simboliza toda uma história de luta, do respeito contra o preconceito, todo tipo de violência. Então, ao longo dos anos, vemos que houve avanços, mas eu também quero demonstrar que o viver em sintonia é um passo essencial e também uma conquista”, lembra Anete.

Mulheres em destaque
A exposição contará com a participação de 20 artistas mulheres, sendo 5 de estados como Minas Gerais, São Paulo, Curitiba, Belo Horizonte e Sergipe. Segundo Anete, a ideia de trazer artistas de fora veio quando ela fez uma exposição no Rio Mar em 2020, tornando-se precursora de exposições presenciais. Neste mesmo espaço, ela aproveitou para fazer uma ação solidária, na qual os artistas convidados doariam uma obra e todo o valor arrecadado seria doado para ONGs. Com essa ação, Anete ganhou um certificado de amor ao próximo de responsabilidade social pela Peter Pan. “Essa ideia de trazer artistas de fora veio desde quando fiz a Exposição no Rio Mar, sendo precursora de exposições presenciais. A pandemia surgiu em março e fiz uma em agosto de 2020. Arte em tempos de pandemia de mãos dadas com a generosidade. Convidei 27 artistas contando comigo e todos teriam que doar uma obra de arte para reverter os recursos para nove ONGs de Fortaleza”, destaca.
Uma das artistas convidadas é a mineira Patricia Malvaccini. Formada em artes plásticas, esta é a sua segunda participação. O primeiro convite surgiu no ano passado por indicação de outra artista que já conhecia o seu trabalho e que já havia realizado exposições com Anete. Ela trará em sua amostra, uma mistura do passado e presente. “Pela segunda vez, fui convidada por Anete Mendonça, curadora de arte, para participar do seu projeto “Ente Nós” em comemoração ao dia da mulher, e estou muito feliz em estar entre as artistas do estado do Ceará. Para esta exposição, trago a série Sonhos, que tem sua pesquisa baseada nesse paralelo entre o passado e o presente da artista, em que retoma suas origens nas artes através do uso do carvão e seu presente com seus fundos abstratos que nos convidam a contemplar”, descreve.

Projeto Entre Nós
Sobre o projeto Entre Nós, segundo Anete, a ideia surgiu em 2021, quando ela abriu o Espaço das Artes no Shopping Aldeota com a Exposição Entre Nós, onde reuniu várias manifestações artísticas diferentes. Com isso, ela visa promover os artistas locais, dando oportunidades para poderem mostrar os seus trabalhos. O projeto Entre Nós é registrado pelo INPI.
“É um projeto artístico educativo, com o intuito de promover a arte, o artista, dando oportunidade a novos artistas. O projeto surgiu com o pensamento de interação de que, quando juntos, fazemos sentido. Partindo da ideia de um quebra-cabeça desmontado, não faz sentido, é desconexo, as peças foram feitas para serem juntadas, para criarem sentindo. Assim também somos nós, quando unidos, nos completamos, essa é a premissa do projeto, entre nós a diferença a diferença se completa. O projeto Entre Nós realiza exposições através da minha curadoria que visa espalhar a arte, transmitindo beleza para a sociedade”, finaliza.
“Uma das ações de fomento da Secretaria da Cultura de Fortaleza é viabilizar exposições como esta, que expressam a atuação artística feminina. A Galeria Chico da Silva nasceu para fortalecer esse movimento e para nós é muito gratificante receber essa mostra em uma data tão memorável e importante como o 8 de março”, disse Elpídio Nogueira,
secretário da Cultura de Fortaleza.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *