Política

Eleições: 9 ministros de Lula podem apoiar adversários do PT em capitais

Nas eleições municipais deste ano, pelo menos nove ministros do governo Lula (PT) podem fazer campanha para candidatos adversários do PT e do presidente, em algumas capitais. O petista tem feito esforço para unificar os partidos da base e, em diversos casos, não deve ter sucesso.
Em São Paulo, maior cidade do país, o racha está na própria chapa que venceu as eleições presidenciais: Lula apoiará o deputado Guilherme Boulos (Psol), enquanto Geraldo Alckmin (PSB) deve ser o principal cabo eleitoral da deputada Tabata Amaral (PSB). Da mesma forma, o ministro do Empreendedorismo, Márcio França (PSB), fará campanha para a correligionária e é um dos mais entusiastas da candidatura dela.
Alckmin e França têm atuado para garantir competitividade à candidatura do partido e ajudaram a filiar ao PSB, por exemplo, o apresentador José Luiz Datena, cotado a vice na chapa de Tabata. Em São Paulo, o governo fica ainda mais dividido devido à prometida presença da ministra do Planejamento, Simone Tebet (MDB), no palanque do atual prefeito, Ricardo Nunes (MDB). Candidato à reeleição, Nunes deve contar com o apoio do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).
Na segunda maior metrópole do Brasil, Rio de Janeiro, a tendência é a de que o PT apoie o atual prefeito, Eduardo Paes (PSD). Mas o Psol, que tem a ministra dos Povos Indígenas, Sonia Guajajara, deve lançar o deputado Tarcísio Motta na disputa.
O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira (PSD), deve entrar em campo para garantir a reeleição do atual prefeito de Belo Horizonte, Fuad Nomam, do mesmo partido. Já o PT, lançou a pré-candidatura do deputado federal Rogério Corrêa. Situação parecida deverá ocorrer em Belém, São Luís e Macapá.

 

HOJE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *