Comitê Paraolímpico faz definição de delegação brasileira

O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) anunciou nesta terça-feira (6) a delegação que representará o Brasil na Paralimpíada de Tóquio (Japão), que será disputada entre 24 de agosto e 5 de setembro. A equipe reúne 253 integrantes, incluindo atletas sem deficiência, como guias, calheiros (bocha), goleiros (futebol de 5, para deficientes visuais) e timoneiro (remo). É a segunda maior do país na história do evento, superada apenas pela de 2016, no Rio de Janeiro (286), e a maior no exterior.

FOTO ALESSANDRA CABRAL

“Vivemos um momento sem precedente na história recente. Todos estávamos preparados para esse momento há um ano, quando lamentavelmente surgiu a pandemia [da covid-19] e o sonho dos atletas teve que ser adiado por um ano. A pandemia continua e esperamos que esteja rumando para o fim. Esperamos ainda que os Jogos sejam uma grande alavanca que represente a recuperação dos nossos povos, pois esporte significa resiliência e autoestima”, afirmou Mizael Conrado, presidente do CPB, Mizael Conrado.

O Brasil estará presente em 20 das 22 modalidades. As exceções são o basquete em cadeira de rodas e o rugby em cadeira de rodas. O atletismo é o esporte com maior representação brasileira: 64 nomes, três a mais que na Rio 2016. Inicialmente, seriam 54 atletas, mas na última sexta-feira (2), a atualização do ranking de alta performance do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, sigla em inglês) garantiu mais dez vagas ao país.

A delegação terá competidores nas modalidades que irão estrear na Paralimpíada. No parabadminton, o país será representado por Vitor Tavares na classe SS6 (nanismo). No parataekwondo, são três atletas: Silvana Cardoso, Nathan Torquato e Débora Menezes, todos da classe K44 (amputação de braço).

A meta do CPB para Tóquio é manter o Brasil entre os dez primeiros do quadro de medalhas. Em 2016, quando o país sediou o evento, a delegação amealhou 72 medalhas (14 ouros, 29 pratas e 29 bronzes) e ficou na oitava colocação. Nos Jogos de Londres (Reino Unido), em 2012, a equipe brasileira foi a sétima mais bem colocada, com menos pódios (43), mas sete ouros conquistados a mais (21) que no Rio de Janeiro.

Parte da delegação brasileira já embarca ao Japão na primeira semana de agosto para aclimatação de 14 modalidades (atletismo, bocha, canoagem, futebol de 5, goalball, halterofilismo, judô, natação, parabadminton, remo, tiro com arco, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas e vôlei sentado) em Hamamatsu. A cidade da província de Shizuoka fica a 260 quilômetros de Tóquio e abriga a maior colônia do Brasil no país asiático.

Fonte: https://oestadoce.com.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.