Polícia

Célio Studart faz alerta na OCDE sobre risco de extinção de jumentos no Brasil

Em Paris, deputado chama a atenção para o abate da espécie visando abastecimento do comércio de pele para produção de cosmético sem comprovação científica

No segundo dia da reunião da Rede Parlamentar Global da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o deputado federal Célio Studart (PSD-CE) chamou a atenção para o desafio enfrentado pelo Brasil para preservar espécies em extinção, citando especialmente a situação preocupante dos jumentos.

“Esses animais estão sendo mortos e têm sua pele removida e vendida”, disse o deputado nesta quinta-feira (4) ao fazer um clamor internacional sobre um tema que vem sendo pauta constante de sua ação no Congresso brasileiro.

O principal comprador mundial é a China, onde há alta demanda por um remédio medicinal tradicional e sem comprovação científica feito com a gelatina de pele de jumento, o ejiao.

“A população de jumentos no Brasil sofreu declínios alarmantes devido a uma série de fatores, incluindo este que mencionei, maus-tratos e a falta de políticas eficazes de proteção aos animais”, completou Célio Studart, único deputado federal brasileiro presente à reunião na sede da OCDE em Paris.

O parlamentar foi convidado pela organização para ser debatedor no painel que discutiu a tripla crise planetária (mudança climática, perda de biodiversidade e poluição).

Segundo a ONG Donkey Sanctuary, pelo menos 5,9 milhões de animais são abatidos por ano globalmente para atender à demanda do ejiao. O Brasil é um dos dez maiores exportadores da pele de jumento, ao lado de países africanos e das Américas. Célio é autor de projeto de lei que põe fim ao abate de jumentos no Brasil.

Em sua fala no painel conduzido pela diretora de Meio Ambiente da OCDE, Jo Tyndall, o deputado também destacou avanços ambientais brasileiros. Célio ressaltou, entre outros pontos, que o Brasil será anfitrião da COP 30, em uma demonstração de disposição de liderança para enfrentar a crise planetária em curso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *