Morada Nova comemora os 90 anos da autora do seu hino, professora Francisca Carneiro de Girão Lima

A história biográfica, autorizada, de Francisca Carneiro de Girão Lima

Francisca é filha de José Lino e Adília, agricultores e nasceu em oito de junho de 1930, na “Fazenda Bom Princípio”, nas ribeiras do Rio Banabuiú. Francisca Girão, como é conhecida, considera-se uma moradanovense de corpo e alma. Pedagoga, professora por carisma e competência; historiadora, poeta e escritora, servidora pública aposentada do Estado do Ceará; mesmo tendo trabalhado na gestão da área da saúde, sua verve sempre se volta para o campo da educação e cultura.

O verso e a prosa sobre o seu torrão natal traz direta ou indiretamente, canta e alude a importância da educação para o futuro dos jovens, principalmente.

Iniciou seu estudo formal na Escola Rural de Dona Maria da Conceição Conrado Girão, em seguida estudou na Escola de Dona Santana Guimarães, logo se transferindo para as Escolas Reunidas de Morada Nova, onde fez o curso primário.

Foram suas professoras: Dona Egídia Cavalcante Chagas (de saudosa memória), Dona Ceci Coelho, Dona Antonieta Rabelo e Miriam Rabelo, (esta de saudosa memória).

Cursou o ensino secundário na Escola Normal Rural de Limoeiro do Norte, concluindo o Normal em 1950. Como normalista conheceu José Honorato de Lima de quem se tornaria esposa no dia 31 de outubro de 1951.

Foi a primeira professora da Escola Isolada Antônio José Girão entre os anos de 1961-1964, no Açude da Petronília, zona rural de Morada Nova. Já com uma prole considerável, continuava sua formação de professora por vocação.

Participou, em 1970, de um Curso Intensivo de Aperfeiçoamento de Professores do Ensino do Segundo Grau, patrocinado pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC).

Em 1971, na Faculdade Dom Aureliano Matos, em Limoeiro do Norte, iniciou o curso de pedagogia – licenciatura plena, concluindo em 1975.

Lecionou em escolas de Morada Nova, São João do Jaguaribe e Limoeiro do Norte: Escola Egídia Cavalcante Chagas (Morada Nova); Centro Educacional Monsenhor Tabosa (Morada Nova); Centro Educacional Maria Emília Rabelo (Morada Nova); Centro Piloto (CNEA – Campanha Nacional de Erradicação do Analfabetismo) (Morada Nova); Colégio São João Batista (São João do Jaguaribe); Escola de Primeiro Grau Chiquinho Rodrigues (São João do Jaguaribe); e Centro Educacional São Vicente de Paula (Limoeiro do Norte).

No ano de 1974, participou do concurso para escolha do Hino de Morada Nova, do qual se sagrou vencedora. A Lei Nº 743 de 18 de outubro de 1985, instituiu o Hino Oficial do município de Morada Nova, sendo música do Reverendíssimo Padre João Linhares de Lima e Letra de Francisca Carneiro de Girão Lima. A letra do Hino é fruto da inspiração de Francisca – “Glória a ti, terra querida engastada no verde esplendor. A beleza de tua paisagem vive uma mensagem toda de amor”. Em verso, o amor por seu berço explode em louvor a natureza e ao povo, no forte desejo de que seja “relicário de paz e amor”.

É poesia sua o Hino do Vaqueiro; e dos Hinos das seguintes escolas: Escola Engenheiro José Dias Cabral (Perímetro Irrigado de Morada Nova), Escola Egídia Cavalcante Chagas, Escola Capitão José Raimundo Evangelista e Escola Prefeito Perboyre Girão.

Em 1975, foi nomeada para o cargo de agente do Instituto de Previdência do Estado do Ceará (IPEC), em Limoeiro do Norte, sendo transferida em 1980 para Fortaleza, a fim de assumir a direção do Posto de Atendimento Luíza Távora (IPEC), no Conjunto Ceará. Possivelmente, esse foi um dos grandes desafios da sua vida profissional: a gestão na área de saúde.

No ano de 1989, afastou-se do serviço público do Estado, com a finalidade de se aposentar. Voltou para sua cidade em 1991 e assumiu um cargo na Secretaria Municipal da Cultura. Participou, em Fortaleza, no ano de 1999, do Seminário de Política Nacional de Cultura, representando o município de Morada Nova.

Seu Marido, o Sr. José Honorato de Lima, faleceu em fevereiro de 2009, de saudosa memória. Francisca e José ganharam seis filhos ao longo da união de 59 anos. Perderam José Flávio aos quatro anos por ocasião de um infeliz acidente, em 1958. Esse fato iria marcar de maneira indelével a história de toda a família. Os outros cinco filhos são: Flaubert, Fábio, Flaubênia, Flávio José e Fabíola. Em sua genealogia Francisca tem a alegria de contar com doze netos e quatro bisnetos.

Publicou em 2011 seu livro “Caminhos da volta”, lançado em noite de autógrafos em Morada Nova, em junho de 2012. A ousada obra traz estilos diversos: crônicas, poesias, hinos e homenagens. O espírito de sua pena é reconhecidamente memorialístico, demonstração do ufano amor por sua cidade e conterrâneos.

Hoje, podemos dizer que duas coisas definem Francisca – o amor por sua família, a quem acompanha como se todos fossem adolescentes – e o amor por sua cidade.

As tradições de Morada Nova estão fortemente presentes em seus poemas. O Hino no Vaqueiro é um forte exemplo de exaltação a essa figura:

“Vaqueiro da terra que vence o labor; a pata do teu cavalo faz poemas de amor”.

Assim é Francisca Carneiro de Girão Lima, figura impoluta! Hoje, seus dias são mais dedicados à leitura, à fé e à família. Tem como veraneio visitas a sua Fazenda Bom Princípio, a Casa do Alto, onde nasceu. Mantém-se informada sobre sua cidade, Estado, país e o mundo.

A poesia “Minha terra” publicada no livro “Caminhos da Volta”, conclui esse texto.

“Essa terra onde nasci

Tem um céu de um azul intenso

E de um verde que circunda, imenso…

O horizonte de matas… lá distante.

 

Tem um Rio chamado Banabuiú

Largo, insondável, benfazejo

Potencial exuberante de riquezas

Naquelas margens irrigadas

Com seu beijo.

 

A minha terra…

É a terra do Divino Espírito Santo.

Onde a trindade da fé

Tem primazia.

É a terra de sol mais caloroso

Que anima, constrói e contagia.

 

Terra do vaqueiro

Do amor da vaquejada

Terra dos sonhos de uma vivência tão querida

Onde a ternura e a saudade têm guarida.”

Nós que fazemos o site Djalma Freire Noticiando nos associamos aos moradanovenses nesta data em que se comemora os 90 anos de idade de uma educadora que escreveu sua história com exemplos de amor à família e à sua terra querida.

Parabéns Professora Francisca Girão, pelos seus 90 anos bem vividos!

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *