Melão: chineses concluem inspeção das áreas de produção no Ceará

Terminou às 13 horas desta sexta-feira, 17, a inspeção técnica que um grupo de especialistas da Administração Geral de Aduanas da República Popular da China fez nas últimas 48 horas nas áreas de produção de melão, livres da mosca da fruta, no Ceará e no Rio Grande do Norte.

Era a última providência que faltava para o início da exportação do melão cearense e potiguar para o mercado consumidor chinês, previsto para começar até o fim do próximo mês de fevereiro.

A última inspeção foi feita durante a manhã de hoje na fazenda da Agrícola Famosa, no município cearense de Icapuí. A Famosa é a maior produtora e exportadora de melão do País.

Ontem, os técnicos chineses – acompanhados por colegas da Agência de Defesa Agropecuária do Ceará (Adagri – visitaram o Posto de Fiscalização da Secretaria da Fazenda do Ceará, em Aracati, onde há em operação uma barreira sanitária.

Depois, visitaram o Laboratório de Controle de Pragas da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), em Mossoró.

Na visita aos campos de produção da Agrícola Famosa, em Icapuí, os chineses ficaram muito bem impressionados com a tecnologia de colheita e transporte da fruta e, também, com o “packing house”, onde o melão é embalado.

A missão técnica do governo chinês foi recebida na Agrícola Famosa pelo seu sócio e diretor de produção, Luís Roberto Barcelos, que, coincidentemente, celebrava seu aniversário natalício.

O secretário Executivo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Governo do Ceará, Sílvio Carlos Ribeiro, disse à coluna que, agora, a expectativa girará em torno do relatório dos técnicos chineses, que deverá ser conhecido nos próximos dias.

A previsão, segundo Ribeiro, é de que, até o fim do próximo mês de fevereiro, seja iniciada a exportação do melão cearense e potiguar para a China. Os embarques deverão acontecer pelos portos do Pecém e de Natal. A viagem do melão cearense até o mercado consumidor chinês – maior do mundo – durará 34 dias.

Os melões serão embarcados em contêineres-frigoríficos de 20 pés. Sílvio Carlos Ribeiro também antecipou a informação de que o início da exportação regular de melão cearense para a China significará, no curto prazo, dobrar a área de produção e, também, o número de empregos. Na fruticultura, um novo hectare cultivado representa um novo emprego.

Amanhã, sábado, 18, a equipe chinesa retornará a Pequim, voando de Natal para São Paulo e de lá para Paris, de onde seguirá em voo direto da Air China para Pequim.

Fonte: Coluna do Egídio Serpa (DN)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *