Tratamento de diabéticos: médico cobra autoridades de saúde e diz que muitas amputações são desnecessárias no CE

Muitas amputações de membros em pessoas que sofrem de diabetes na Grande Fortaleza e no Interior do Ceará poderiam ser evitadas se a rede de saúde estivesse melhor preparada para atender pacientes com essa doença.

O diagnóstico é do médico e professor universitário Henrique César que afirma que, no Ceará, se gasta muito dinheiro com ações ineficazes que, se fossem adotadas de forma correta, evitariam dezenas de amputações em pacientes diabéticos.

Henrique César classifica como grave erro do poder público a formação de equipes multidisciplinares sem a presença de um médico ortopedista. Essa distorção, segundo ele, impõe as autoridades de saúde repensar o modelo de assistência na rede pública.

Ele lembra que uma pesquisa nacional mostra que 47% de pacientes com diabetes frequentaram, nos últimos 12 meses, a rede pública para tratamento, enquanto, na área privada, esse tipo de demanda chegou a 29%.

Os números, conforme enfatiza Henrique César, retratam uma triste realidade, que se estende a pequenas, médias e grandes cidades do Interior e da Grande Fortaleza: o acesso à rede de saúde não significa necessariamente assistência de qualidade.

‘’É preciso, portanto, investir em ferramentas para a qualificação do cuidado com a pessoa com diabetes, modificando as formas de abordagem aos usuários e considerando as melhores evidências como guias, para a prática clínica cotidiana’’, afirma o médico Henrique César, que, em seu comentário, tem outras informações úteis para os pacientes diabéticos e, também, para reflexão das autoridades estaduais e municipais de saúde.

Fonte: Ceará Agora

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *